Home / Colunas / São Luiz: do Maranhão

São Luiz: do Maranhão

 

Marcos Neves

Embaixador de Turismo e Professor

 

Terras de artesanato, praias e Lençóis Maranhenses

Fazer turismo em São Luiz, capital do estado do Maranhão, é se sentir numa visita em um museu aberto. Fundada em setembro de 1612, está localizada na ilha Upaon-Açu  (denominação dada pelos índios Tupinambás significando “Ilha Grande”.)

De modo semelhante ao que ocorre com Belém do Pará e Vitória do Espírito Santo, os Guias de Turismo se referem à cidade como São Luís do Maranhão.

É a principal cidade da Região Metropolitana, chamada de Grande São Luís! Com 997.098 habitantes, é 16º cidade mais populosa do Brasil. São Luís é a única (Eu disse: a única!) cidade brasileira fundada pelos Franceses e tem como característica uma das três capitais brasileiras localizadas em ilhas (as outras são Florianópolis e Vitória ).

Quem fundou São Luiz? Nem a História Turística responde…

 

 

Todo bom Guia de Turismo inicia a visitação à Cidade contando um pouco de sua curiosa História. Na cidade, habitavam nativos de uma aldeia tupinambá até a chegada de franceses em 1612, vindos das cidades francesas de Cancale e Saint-Mailo comandados por Daniel de La Touche Senhor de La Ravardière, que construíram um forte e o nomearam São Luís, uma homenagem prestada a Luís IX – patrono da França – e ao rei francês da época, Luís XIII. Os franceses se aliaram aos tupinambás na resistência aos portugueses e, 3 anos depois, em novembro de 1615, foram expulsos, sob o comando de Jerônimo de Albuquerque, quedo

se tornou o primeiro capitão-mor do Maranhão. A curta estadia francesa e eles não terem construído uma cidade (construíram um forte) traz discussões sobre a fundação de São Luís, se foi feita pelos portugueses ou pelos franceses.

Durante o ano de 1860, com o início da Guerra Civil Americana, a região passou a fornecer algodão para a Inglaterra. A riqueza proporcionada por essa atividade foi usada para modernizar a cidade, com a chegada de religiosos para lecionar nas suas escolas e a implantação de redes de água e saneamento. A cidade chegou a ser a terceira do país em população, mas no fim do século XIX a agricultura entra em decadência e, desde então, a cidade busca outras atividades para manter-se.

 

Cidade de Duas Estações Climáticas: somente!

O clima de São Luís é tropical, quente e úmido. A temperatura mínima na maior parte do ano fica entre 20 e 23 graus e a máxima geralmente fica entre 29 e 31 graus. Apresenta duas estações distintas: a estação seca, de agosto a dezembro, e a estação chuvosa, de janeiro a julho.  A menor temperatura já registrada na cidade foi de 16°C no mês de maio, e a temperatura máxima já registrada foi de 35°C no mês de novembro. A capital maranhense está a quatro metros acima do nível do mar. Fazer turismo em São Luiz é se sentir sempre na zona do conforto.

 

 

Praias para todos os gostos 

A Praia Ponta d’Areia é a mais visitada pela população e pelos turistas, devido ao fácil acesso. Encontra-se apenas a três quilômetros do centro da cidade. Existe a praia “braba” de São Marcos que se destaca por suas fortes ondas e, claro, bastante procurada por surfistas. Já a Praia do Calhau é uma das mais conhecidas da capital maranhense: apresenta ondas fracas e dunas cobertas por vegetação: uma incursão ao eterno bem-estar! Já a 13 quilômetros do centro da cidade, encontramos a praia Olho d’Água também cercada por dunas e vegetação rasteira. Quer praticar “kitesurf? Então, a mais indicada é a Praia do Meio: localizada entre as Praias de Olho D´água e Araçagy, possui águas límpidas.

 

 

 

Foto: Ricardo Junior – GuiaViagensBrasil.com

Os Lençóis Maranhenses 

Paraíso escondido, são um dos principais destinos turísticos do Maranhão. Criado em 1981, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses – com área total de 156,5 mil hectares – integra a Rota das Emoções. As dunas – comuns nessa região do país – são formadas pela força dos ventos, que criam uma paisagem única e alteram constantemente sua aparência. Nesse ‘deserto’ gigante é possível encontrar lagoas formadas pelo acúmulo de água das chuvas do primeiro semestre.

 

 

 

Um dos portais mais conhecidos dos Lençóis Maranhenses é a cidade de Barreirinhas, a 250 km de distância da capital maranhense. Bem estruturada para receber os visitantes, a cidade é cercada pelas águas escuras do rio Preguiças – que leva o nome por causa da presença do simpático bicho-preguiça (há quem questione a origem do nome!). Para conhecer o roteiro, é preciso primeiro chegar a São Luís.

O transporte intermunicipal é uma alternativa para quem prefere fazer o passeio sem intermédio de agências: do Terminal Rodoviário da capital maranhense, saem diariamente ônibus até Barreirinhas. A passagem custa em média R$ 45 por pessoa.

Estando em Barreirinhas, o turista não pode deixar de visitar a comunidade de Tapuio, onde se localiza a Casa de Farinha. O acesso é feito por lancha. Duzentas famílias habitam o local. A casa é compartilhada pelas famílias conforme a necessidade de cada uma, e a maior parte da produção é para o consumo próprio – atendendo a um costume de vários anos. No ambiente, o visitante conhece e vive a experiência de todas as etapas de produção da famosa farinha-d’água.

 

 

História do Centro Histórico

O Centro Histórico de São Luís possui cerca de 2500 imóveis tombados pelo patrimônio histórico estadual, e 1000 pelo IPHAN. Parte desse sítio foi declarado Patrimônio Mundial em 1997, por seu conjunto arquitetônico colonial português adaptado ao clima do local.

Os prédios arquitetônicos constituem sobrados, casas térreas e solares. Os sobrados possuem até quatro pavimentos, sendo o térreo loja comercial e os outros pisos residências. Os solares, sobrados suntuosos, possuem muitos detalhes refinados, e as casas térreas, por fim, passíveis de várias classificações (por exemplo, morada inteira: porta com duas janelas de cada lado; meia morada: porta lateral e duas janelas).

Entre as construções a serem destacadas, encontram-se o Convento das Mercês, a Casa das Tulhas, as igrejas do Rosário e do Desterro, a Casa das Minas, das Fontes e das Pedras, o Teatro Artur Azevedo e o Palácio dos Leões (sede do governo do estado).

 

 

Cultura como Atração Turística

Na última semana do mês de julho, ocorre a tradicional festa do vaqueiro de Barreirinhas. O evento é considerado o maior do gênero da região e é embalado por grupos de forró.  Neste ano, a ‘Vaquejada Regional dos Lençóis Maranhenses’ vai para sua 32ª edição. Já no início do mês de agosto, a programação é para quem curte jazz e blues. Um festival, que está na sua sétima edição, faz aumentar o fluxo de turistas na cidade. Neste ano, o Lençóis Jazz e Blues Festival ocorre entre 7 e 9 de agosto. Na programação, grupos de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e, claro, do Maranhão.

De 25 a 29  de maio, acontecerá o XXXVI Congresso Brasileiro de Guias de Turismo. A Escola Técnica de Turismo está organizando uma grande caravana para este encontro. Mais informações www.cieth.com.br

Ficar em Pousadas: a dica Real

A dica desta Coluna da Real Noivas é curtir o conforto e hospitalidade das muitas Pousadas existente em São Luiz.

Um dos destaques é a Pousada do Porto. Com uma localização privilegiada, no centro da cidade de São Luís, que fica próxima aos casarões, em meio ao clima típico da cidade, onde a preservação do estilo colonial, cria um clima de nostalgia e tranquilidade. Diárias a partir de R$ 120,00. Informações (98) 32210793.

Para quem procura hospedagem com instalações modernas, aconchegante e valores que cabem no bolso, a melhor opção será sempre essa: simpáticas pousada no centro da cidade, onde encontramos lugares especiais, que reúnem ambientes charmosos e acolhedores para se sentir sempre à vontade!

Mais e muitas boas dicas em www.guiamais.com.br/sao-luis-ma/hospedagem/pousadas

 

 

Deu fome? Cuxá… 

A eterna dúvida: o quê e onde comer e beber?

A principal receita da gastronomia do Maranhão é o Cuxá: uma espécie de bobó feito com folhas de vinagreira (uma erva azeda), papa de farinha de mandioca, gergelim torrado e socado no pilão e camarão seco. Nos restaurantes de São Luís, a mistura é servida principalmente integrada ao arroz, para acompanhar receitas de peixes e frutos do mar.

Outro prato típico é a torta de camarão, um tipo de omelete.

Na sobremesa, os Turistas se encantam com os cremes de frutas regionais, como bacuri e cupuaçu.

E para beber?

Um pouco do famoso Guaraná Jesus: em 1920, o farmacêutico Jesus Norberto Gomes, tentando fabricar um remédio, acabou criando um xarope que viria a ser um verdadeiro fenômeno de vendas.

Chamada de Guaraná Jesus (possivelmente uma auto-homenagem do criador, que era ateu), a bebida cor-de-rosa com cheiro de tutti-frutti conquistou o coração dos ludovicenses. Em 2001, a Coca-Cola comprou a fórmula do refrigerante, famoso pelo sabor adocicado, com traços de cravo e canela, mas manteve sua comercialização restrita ao Estado.

E agora… vamos arrumar as Malas?

 

“Veja mais dicas sobre Barreirinhas em http://www.guiaviagensbrasil.com/ma/lencois-maranhenses/

Theme by binabot software